Quer ensinar ou ganhar dinheiro?


Encontrei com um amigo e ele fez a seguinte pergunta: Você quer ensinar ou ganhar dinheiro?

Antes de seguir, registro o meu agradecimento ao amigo por ter feito esta pergunta.
Fui para casa e no caminho, lembrei da pergunta de um comercial “Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?
A pergunta do amigo desencadeou outros questionamentos:
Será que um dia vou oferecer alguma tecnologia na área financeira? Por que venderia esta tecnologia?
O que posso oferecer neste oceano vermelho que já existe de cursos sobre o mercado de ações e outros investimentos?

 

 

O que realmente seria útil? O que as pessoas buscam? Elas buscam a mágica ou realmente terem o controle dos investimentos?
Será que as pessoas sabem o que elas querem ou podem?

Com relação as perguntas acima, algumas já respondi no post “Um atalho para investir melhor” e em outros publicados neste site.

O que quero?
Quero aprender! Trocar conhecimento. Construir!

Depois de 13 anos atuando como engenheiro, mergulhei no mercado financeiro. Apesar de acompanhar o mercado desde 2003, quando desenvolvi o site rmac3.com.br, ter cursado MBA em Engenharia Econômica e Financeira em 2006 e ter obtido a certificação de Agente Autônomo de Investimentos, foi a partir de 2015 que decidi me dedicar full time ao mercado. Seguir o coração!

No planejamento para nova caminhada, considerei recursos financeiros, bons livros, bom sistema, bom computador… mas esqueci de um detalhe: a interação com outras pessoas, algo que complementasse a atividade de desenvolvimento de estratégias.

Não ignorei por não acreditar nas pessoas ou por me sentir auto suficiente, mas sim porque era fato: eu não era da área financeira e não conhecia pessoas da área. Desde 2003, quando comecei a estudar o mercado, não encontrei realmente pessoas interessadas em desenvolver algo, estudar de verdade. Sempre acreditei na questão de encarar os estudos sobre o mercado de ações ou futuro como uma pesquisa, que comento no vídeo “A pesquisa e o trading“.

Encontrei muitas pessoas querendo ganhar dinheiro rápido. Não tenho nada contra isso. Respeito a posição de cada um. Afinal, imagine se no mundo só existissem pessoas com espírito de pesquisador!

Também penso que foi válido o período que fiquei na minha caverna.  O fato é que eu também tinha uma visão um pouco distorcida do que é ser trader, o que é acordar todo dia e acompanhar o mercado. Aprender a perder. Compreender que não é importante operar todos os dias. Não tornar a perda um grande sofrimento, mas sim um caminho para aprender e melhorar a cada dia. Talvez, um dia eu escreva algo mais profundo sobre isso.

Descobri que ter o conhecimento técnico é importante, mas o controle emocional faz muita diferença.  O maior inimigo está dentro de nós.  Também já comentei sobre isso no post “Controle das emoções: psicologia & mercado“.

Com o objetivo de compartilhar parte do que fiz e conhecer outras pessoas interessadas em investir melhor, criei o site averatrading.com. Utilizei outros canais de comunicação, criei canal no youtube. Estas iniciativas me ajudaram a conhecer pessoas e me trouxeram um equilíbrio, pois acompanhar o mercado o dia todo é realmente desgastante para mente. Tenho trabalhado muito nisso, procurado melhorar. É bacana trocar informações, trocar experiências, mas sem abrir mão da qualidade.

 

Além de tudo que escrevi acima, ainda quero construir algo que não seja apenas o “Rodrigo”, que rode por conta própria. Gostaria que fosse na área financeira, pois sou louco pelos números (.rs). Conseguirei? Como no mercado, não temos certeza do que acontecerá no dia seguinte, trabalhamos com probabilidade, apenas isso.

Mas, “Você quer ensinar ou ganhar dinheiro?”

No primeiro momento, visualizo dois possíveis finais: o gain e loss.

No gain, posso sair com dinheiro no bolso e uma empresa formada por algumas pessoas que conheci ao longo do caminho, que um dia nasceu da ideia de querer compartilhar conhecimento e fazer negócios.

 

 

Ainda no gain, posso decidir acionar o stop de proteção, onde saio da posição com alguns trocados, uma grande mudança interna, mas sem algo que rode independente de mim. Então, escrevo um último post, registrando o “fim” da jornada e que os registros anteriores fiquem como um diário que possam ser úteis para alguém.

 

 

Também existe a opção de me dedicar apenas a parte educacional, reconhecendo minhas limitações.

 

 

Buscamos e gostamos da certeza, mas a certeza pode trazer monotonia (.rs. apenas uma maneira saudável de visualizar de forma positiva a imprevisibilidade).

E o stop loss?

Na verdade, não existe stop loss. Já ganhei por ter tentado. Agradeço a Deus e acredito no plano Dele.

 

 

É isso aí! Então, buscamos outro caminho.  Enquanto a estrada está iluminada, caminhamos.  Quando a luz se apagar, pode ser a hora de buscar outro caminho.  Assim é a vida.

Acho que respondi a pergunta do amigo e, principalmente, respondi a mim mesmo.  Acredito que evoluí escrevendo este post.

Mas, e agora? Qual o próximo passo?

Será que este será o penúltimo post deste site?

Quantos posts ainda vou escrever?
Será que teremos posts com outros autores por aqui? Também compartilhando experiências e estudos?
O que estou fazendo? Por que elaborar estes posts?

Estou mostrando algumas cartas.

Façam suas apostas, porque eu já fiz a minha.

 

 

Participe!  Uma coisa que me motiva muito é quando as pessoas me procuram, pois compartilham de ideias parecidas e querem enriquecer esta caminhada. É um combustível! Então, se você gostou deste texto, compartilhe. Caso tenha alguma crítica ou sugestão, encaminhe!  Fale conosco!  De repente, algo novo pode surgir. Quem sabe?!

 

 

Aqui estão os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os criadores de caso. Os pinos redondos nos buracos quadrados. Aqueles que vêem as coisas de forma diferente. Eles não curtem regras. E não respeitam o status quo. Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou caluniá-los. Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Empurram a raça humana para a frente. E, enquanto alguns os vêem como loucos, nós os vemos como geniais. Porque as pessoas loucas o bastante para acreditar que podem mudar o mundo, são as que o mudam” Jack Kerouac

Vamos em frente!

Rodrigo Côrtes

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.
Eclesiastes 3, 1-8.