A quarta revolução, a bolsa de valores e a análise de risco


O objetivo deste post é alertar sobre a importância da análise de risco e principalmente, não sermos inocentes com relação aos prestadores de serviços no mercado financeiro. Nós erramos, todo mundo erra. A questão é que no mercado, o erro pode resultar em perda de dinheiro.

 

Um belo dia, decidi cancelar um serviço que contratei através de uma corretora. Antes de efetuar o cancelamento, li o termo que indicava que ao assiná-lo eletronicamente, o serviço continuaria disponível até o último dia do mês. No entanto, após assinar o termo, observei que o serviço foi suspenso imediatamente.
Perder o sinal da plataforma no mesmo dia do cancelamento, não estava nos meus planos, mas tudo bem. Risco operacional!

 

A QUARTA REVOLUÇÃO

Além de Bitcoin, percebo que a “quarta revolução industrial” é o assunto da moda, sendo bastante citado em redes sociais e jornais.
Recentemente, recebi um vídeo bem interessante que comenta sobre a “quarta revolução”. Logo no início do vídeo, aparecem as seguintes palavras: REFLETIR, PLANEJAR e EVOLUIR.
Caso ainda não tenha assistido, clique aqui.

 

O MEU PROBLEMA? OU O NOSSO PROBLEMA?

Retornando ao problema da perda de sinal da plataforma, resolvi procurar o telefone da corretora no site, mas não tive sucesso. Isso chamou minha atenção. Só aparecem as seguintes opções para contato: “Assistente Virtual” e “E-mail”.
Alguém pode dizer: Por que você não ligou para o Agente de Investimentos?
Entendo que o Agente é para resolver assuntos relacionados aos investimentos, não sobre serviços de plataformas.
No mesmo dia, liguei para outra corretora para resolver outro assunto e percebi que fiquei mais de 5 (cinco) minutos aguardando para ser atendido.
Ok! Não podemos pegar uma situação e generalizar. Então, no dia seguinte, liguei novamente para a mesma corretora que desta vez me fez aguardar 9 (nove) minutos para ser atendido.
Para quem não me conhece, sou um profissional que gosta de entender os processos. Então, decidi ligar para uma terceira corretora. Desta vez, fiquei 6 (seis) minutos aguardando no telefone.
Resumindo, em um site de uma corretora não consegui nem o telefone e com as outras duas fiquei mais de 5 (cinco) minutos aguardando o atendimento.
Não gosto de comentários subjetivos, mas abrirei uma exceção. Em todas as ligações, tive a percepção que os atendentes estavam no meio de um furacão. Isso chama atenção porque não se tratava de um dia de pânico na bolsa de valores. Será que é a impaciência do mundo moderno?

 

É A QUARTA REVOLUÇÃO!

Lembra que no início deste post comentei sobre um vídeo e as palavras REFLETIR, PLANEJAR e EVOLUIR?
Estou escrevendo este post para convidar você para uma reflexão.
Com certeza, a reflexão nos levará para a importância do PLANEJAMENTO.
Será que a empresa, no caso a corretora, já está preparada para entrar na era da “quarta revolução”? Será que o sistema que ela oferece já apresenta estabilidade e capacidade para um aumento significativo do número de clientes? Será que os profissionais que representam a empresa são qualificados ou apenas certificados?

 

CADÊ O PLANEJAMENTO?
Aqui é o país do futebol! Chuta a bola e corre atrás. Infelizmente, é assim que alguns profissionais pensam e funciona em algumas empresas.

 

ANÁLISE DE RISCO

Uma das áreas de conhecimento da gestão de projetos é o gerenciamento de risco. Você conhece os riscos de operar na bolsa de valores?
Não quero sofisticar e nem motivar as pessoas a desistirem de investir na bolsa de valores. Ao contrário, quero gerar uma reflexão e alertar os investidores iniciantes. Não sejam inocentes!
Como todo negócio é fundamental analisarmos os riscos.
Se você pretende operar de forma profissional, considere, como por exemplo, contratar duas operadoras para internet. Tenha dois computadores disponíveis. Se você quer economizar no palito de dente, avalie se a bolsa é realmente um negócio interessante para o seu perfil. Desculpe, mas é importante encararmos os fatos.
Este meu post poderia ser resumido em uma simples frase: faça análise de risco!
Sorria por estar ganhando dinheiro, mas não ignore os riscos.
Não entre na euforia. Seja um investidor consciente.

 

Se algo der errado, a culpa até poderá ser de alguém, mas o dinheiro é seu.

 

O fato é que existe algo de errado no processo, mas enquanto o tempo não conserta, é importante termos consciência das falhas do “sistema” e nos precaver. Lembre-se! Somos o país do futebol, alguém chutou a bola e agora está correndo atrás para dominar.

 

MISTURANDO: A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E A BOLSA DE VALORES

Mais uma vez, a bolsa está vivendo um momento excelente, mas aí vem a “quarta revolução”. Reduzir os custos é algo fundamental para qualquer negócio, mas não podemos deixar de lado a qualidade.
Também não devemos achar que a única solução seja colocar um exército para atender aos clientes. A equipe pode ser pequena, mas bem qualificada (qualificação x certificação).
Não sou contra a “quarta revolução”, pelo contrário. Talvez, esta possa até “sacudir” aquele que espera que o mundo acabe em barranco para que ele possa morrer encostado.
A culpa é apenas da corretora? Não!
O investidor tem culpa também! Sim, o investidor tem culpa se ele não tiver consciência dos riscos e da importância de avaliar os serviços. Se o investidor se deixar levar pela euforia, ele só será capaz de avaliar um serviço quando algo der errado. E então, quando algo der errado, provavelmente, ele culpará o sistema e fugirá da bolsa de valores.
Este post também reforça a ideia de que não é a euforia que torna as coisas sustentáveis. A euforia é uma oportunidade para alavancar um negócio, mas se não houver estrutura e conscientização, acredito que a chance de sucesso será baixa.
E quando um investidor iniciante tiver um problema e não conseguir a resposta com facilidade? O que ele fará?
Bem, se ele estiver tendo retorno de 10% em 1 semana, provavelmente, ele nem se preocupará, mas se o retorno estiver negativo?

 

Mais uma vez, as corretoras estão tendo uma grande oportunidade para atrair novos investidores. Afinal, as ações estão ajudando. Para nós que acompanhamos o mercado todos os dias e encaramos o investimento em ações como um negócio, temos também uma baita oportunidade. É claro que queremos mais investidores, mais liquidez, mais negócios!

 

Que esta alta da bolsa não seja apenas uma oportunidade de ganhar dinheiro, que possamos ter um mercado mais forte, com empresas e profissionais que ofereçam serviços com alta qualidade. Que o imediatismo seja deixado de lado.
O mercado é democrático. Ele não expulsa ninguém. Ele nos deixa comprar e vender ações até termos dinheiro ou consciência de que chegou a hora de parar.
Para você que é um investidor iniciante, digo: não desista da bolsa, participe! Com a Selic baixa, o mercado de ações fica mais atraente e além disso, é fascinante. No entanto, não seja inocente, não acredite em mágicas, não ignore os riscos. Invista de forma consciente!

 

Quando as pessoas querem o impossível, somente os mentirosos podem satisfazê-las.” Thomas Sowell