Vamos torcer pela engenharia!


No dia 16/09/18, o Jornal O Globo publicou uma matéria interessante sobre o pré-sal, destacando a redução de custos proporcionada pelos avanços tecnológicos empreendidos pela indústria no país e os elevados índices de produtividade dos campos.

De acordo com a matéria, o pré-sal vai atrair ainda mais a atenção das petroleiras em todo o mundo.  A expectativa é que o leilão do excedente da cessão onerosa previsto para 2019, seja o maior do mundo, com arrecadação de no mínimo US$ 25 bilhões.

A atratividade do pré-sal levou a lances bilionários de empresas como Exxon, Shell, Equinor, além da Petrobras, nos últimos leilões.

Em matéria publicada no Valor Econômico do dia 19/09/18, o Diretor Geral do Deutsche Bank aponta a possibilidade de termos novamente um cenário com o petróleo a US$ 100 o barril, sendo o principal motivo para isso a volatilidade geopolítica.  Além disso, segundo o Diretor do Deutsche, vivemos agora um período em que as petroleiras se concentraram muito em limpar e arrumar os balanços e projetos investidos, reduzindo custos e focando nas melhores oportunidades.

 

Matéria Valor Econômico - 19/09/18

 

Abaixo, apresento os gráficos mensal e semanal do Brent onde incluí alguns pontos apresentados nas matérias citadas acima e outros detalhes, como por exemplo, a indicação da tendência de alta iniciada a partir de janeiro de 2016.  No gráfico semanal, destaco que a faixa de 71 a 80 está sendo uma zona de intensa negociação.  Podemos entender que existe uma “briga” para romper os US$ 80,00.  Quem vencerá esta briga?

 

Gráfico Brent

Figura 01: Gráfico Mensal do Petróleo (BRENT)

 

 

Gráfico Brent

Figura 01: Gráfico Mensal do Petróleo (BRENT)