“Stopar” ou não “stopar”?


Aproveitou para descansar?

“Stopa” ou não “stopa”?

Apesar da alta do Ibovespa (acredito que ninguém reclame do fato), é interessante ter a percepção de como a participação dos estrangeiros e institucionais fica reduzida no período de festas. Acredito em uma redução na atuação na faixa de 40% (pode entender isso como quase um “chute”, mas…). Se você discorda, fique a vontade para comentar.

 

Para não ficar apenas nesse “blá”, veja a imagem abaixo, apesar de não ter sido com base nela que dei o “chute” acima.

 

Em março de 2020, quando o Ibovespa foi abaixo de 65.000 pontos, troquei várias mensagens com amigos sobre o uso do stop loss. Quem não aceitava utilizar o stop, passou a avaliar. Quem utilizava, passou a ter certeza da importância.

 

A partir de abril/20, o Ibovespa iniciou uma bela recuperação, ganhando mais “combustível” a partir de outubro/20 com o retorno dos estrangeiros. De abril/20 até dezembro/20, o índice registra alta superior a 60%. Então, alguns que tinham sido “convencidos” do uso do stop loss passaram a ter dúvida novamente. No entanto, imagine quanto ganhou quem stopou no início de março/20 e aproveitou toda esta alta do Ibovespa ao invés de ficar comemorando a recuperação.

“Stopar” ou não “stopar”?